Total de visualizações de página

Olá...
Observe, navegue, leia, e poste suas considerações.
Se quiser postar poemas, aceito...agradeço...
Um abraço
Rosana

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Olha eu aqui!



Sabe quando você se considera muito sortuda?
Pois é!
Minha cirurgia foi um sucesso.
Não tive dor, não tive gases, não tive nenhuma intercorrência.
Não entalou nada e não sofri nenhum incômodo ao acrescentar alimentos novos na minha dieta.
Já estou na fase 2 da dieta e nem parece que operei.
Já perdi 9 quilos e estou aguardando ansiosamente para o dia 21 onde troco a dieta pela fase 3, que será :  purê, de todos os tipos.
Já tomo meu leitinho, meu suco, meu iogurte e estou aprendendo a só me alimentar das coisas saudáveis desta vida.
As frutas voltaram a me dar gosto de saborear como suco e eu tenho certeza que em todos os meus momentos, Deus está presente.
No final do mês, talvez eu consiga voltar a trabalhar. Ainda não resolvi se vou voltar antes de julho.
Enfim, quero agradecer a todos que me incentivaram, a todos que me apoiaram e peço a Deus que os abençoe.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Deus perdoa!!!

Há muitos e muitos anos atrás eu venho sofrendo preconceito de muita gente em relação ao meu peso.
Nunca fui feia, na verdade, sempre fui muito bonita, mas o problema é que as pessoas que me cercam tendem a desvalorizar aquilo que lhes incomoda.
Sofri preconceito principalmente na própria família.
Deixei de ir em festas, em viagens, em comemorações por causa das pessoas que iriam sempre alfinetar, de uma forma ou outra, o meu sobrepeso.
Na verdade, aquilo começou a me incomodar quando fui comparada a uma personagem da televisão. A mulher era muito feia e gorda. Ela era ridicularizada o tempo todo, no programa e fui comparada a ela de uma maneira muito cruel.
Isso começou a afetar a minha mente. Comecei a me fechar, não querendo mais sair de casa.
Quando saia, ficava me escondendo para não ser vista ou ser o polo das atenções.
A condição em que me encontrava era muito vexatória, no meu entendimento.
Depois comecei a me ver cada vez mais feia, mais gorda, mais menosprezada.
Um dia vi, na rede social do meu marido, uma imagem tão triste, de uma mulher gorda beijando um homem magro. Na foto estava escrito : Tomara que o efeito da cachaça não passe logo. ( na moça) e no rapaz, Eu te amo, Anitta. 
Aquilo foi a gota d'água para entrar em parafuso. 
Acreditei que era indireta para mim.
Depois disso vieram as ''amigas '' do meu marido, postando fotos mostrando o corpo, todas magras e sensuais, escrevendo para ele, como se ele fosse solteiro.
Recebi e ainda recebo às vezes, ligações anônimas contando coisas sobre meu marido.
Vi fotos, vídeos, recados, tudo para me constranger e acreditar em traição.
Isso me decepcionou.
Tive vontade de morrer.
Justo comigo, que acreditei que a traição não ofende só a gente, mas a família do traidor e do traído.
Procurei psicólogos, psiquiatras, médicos endócrinos, cardiologistas, etc.
Eu estava mal.
Decidi procurar uma clínica para a operação bariátrica.
Fiz todos os exames.
Tudo certo para entrar em cirurgia em julho, mas a psicóloga não autorizou.Eu estava muito depressiva.
Em setembro, quase surtei novamente  e o peso aumentou  consideravelmente.
Aquilo me acabou.
Resolvi procurar outra clínica. Achei. Médico particular. Iria operar em dezembro.
Tudo certo para a cirurgia e o convênio me manda um SMS avisando que a cirurgia havia sido cancelada porque o médico tinha 15 dias para enviar um relatório e não enviou.
Chorei muito. Quase entrei em parafuso.
Procurei outro médico particular. Conversei. Levei todos os meu exames e a cirurgia está marcada. Será dia 27/01/18, às 7 horas da manhã.
Estou apreensiva, porém em paz.
Sei que esta quinzena não foi fácil, e estes últimos 3 dias  estão sendo terríveis, pois a dieta líquida é sem opção. Ou você come o que está ali na receita ou não come.
Tive tonturas, vômitos, quase desmaiei de fraqueza, por falta de carboidrato, mas estou aqui, aguardando o tão sonhado dia da cirurgia.
Estou apreensiva, porque sei que vou passar por um procedimento de alto risco, é uma cirurgia grande, porém sei que é para a minha saúde.
Tenho problema circulatório, já tive flebite, erisipela, esteatose hepática, problemas de pressão alta, pré-diabetes, artrose no quadril, nos joelhos e na cervical, tenho fibromialgia, tenho dores ao levantar da cama, ao andar, ao sentar, ao me movimentar. Tenho dores no coração, na alma, por saber que a aparência é a essência para o ser humano. Tenho dores porque não basta ser boa, ser ponderada, ser cuidadosa, não basta amar, ser carinhosa. 
O ser humano é podre. Aproveita da bondade alheia até quando precisa, depois diz adeus.
Chorei muito nestes 56 anos. 
Senti dores na alma como se fosse no corpo.
Quando retornar da cirurgia e ficar como a sociedade quer e como o meu corpo precisa para ser saudável, vou mostrar a cada uma das pessoas preconceituosas que a vida não é aparência e sim essência. 
Viemos aqui neste planeta para fazer o bem, para recebermos o bem e não para sermos ridicularizados .
Minha vontade era continuar gorducha, porém minha saúde está debilitada por causa da gordura e então só por este motivo concordei em fazer esta cirurgia.
Corro risco?? Claro! É uma cirurgia de grande porte, mas se Deus é Pai e Jesus está comigo, nada de ruim vai acontecer.
Vou mostrar para todos vocês preconceituosos, que não é a aparência que conta nesta vida. 
Vou mostrar que EU TENHO UMA ALMA LINDA... e que meu corpo apenas será um lugar onde ela habitará.
Desejo de coração que cada um de vocês, venham aplaudir minha vitória e que Jesus perdoe cada um de vocês, pois a única coisa que eu posso fazer é viver na minha paz.
Sou e sempre serei a ROSANA, BRUXA, FADA, PODER ROSA.


























terça-feira, 12 de dezembro de 2017

SOCORRO


Rosana PoderRosa
Sem saber o que fazer
Como objetivar
Como viver?
As coisas estão fora do rumo, do prumo.
Estou sem norte
Por favor, não me faça chorar
O desespero me abate
me fere
me alucina
Estou sem chão
sem eira sem beira
sempre foi minha sina
Quero ir para o sul
Malas feitas
Na bagagem apenas lembranças
No peito só saudade
No corpo, o peso de anos sem vida
O mundo está errado
Tudo fora do contexto
Tudo fora do compasso
Apenas uma lágrima
O resto já chorei
Quem sabe faz a hora
E eu esperei
Não deu
Não dei
Fiquei
Chorei, chorei
Dor de alma
Dor de falta
Dor de incompreensão
Sorriso?
Só mesmo quando criança
Com alma pura
Há ainda lembranças...
Cansei de chorar
Agora só gemidos...
Agora já é natal 
Continuo a esperar a estrela guia que nunca veio...
Socorro...

domingo, 12 de novembro de 2017

Cansada...



Alguém me ajude com uma massagem
Comece nos pés
Caminharam tanto e estão esfolados e doloridos
Pode massagear meu tornozelo?
Doem por causa do peso do corpo e das mazelas
Os joelhos... Como flexionaram diante de tantos problemas
Estão calejados e machucados
Meu quadril...Como ardem as juntas. Parecem deslocados do corpo.
Foram passos largos para chegar a lugar nenhum
Minhas costas, como doem
Estão com o peso da responsabilidade que nunca foi dividida
Agora meus ombros, meus braços!
Sofrem por tentar segurar uma vida inteira para chegar até aqui e ver que foi tudo em vão.
Mas, o principal você não conseguiu massagear.
Meu coração.
Ele está duro, rígido, impossibilitado de bater suave.
Bate fraco, sem ânimo. Sabe por que? Porque você nunca pensou que ele estivesse ali.
Ele nunca existiu para você. O amor nunca foi o seu objetivo.
Agora ele sangra, até morrer. 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Somos mortais



Sabe, as pessoas, meros mortais,
 se esquecem que a gentileza ainda é uma das grandes armas para a paz.
Se esquecem da retribuição do carinho que 
recebem, se esquecem que ser amigo não é
 só curtir fotos no Facebook, ou mandar um'' oi ''de vez em quando.
Estar presente na vida das pessoas, seja por
 amizade, por amor, por 
compromisso, faz existir laços, 
sejam eles estreitos ou não.

Quem faz uma vez e há perdão, depois faz de novo 
e o perdão refaz, só que tem hora que o perdão
 vira rotina e o sentimento
 de fraternidade, de amizade, de lealdade
 que havia, acaba se transformando 
em nada...apenas 
uma amizade fria, sem o 
amor que 
antes a 
envolvia.

Aconteceu também em abril...( Regina Mendonça )



Por incrível que pareça, o mês de abril sempre foi alvo de olhares internos para esta mulher que lhes escreve.
Sim, porque sempre em abril eu preciso refletir sobre coisas que teimam em me perseguir.
Enfim, foi numa tarde de abril que eu descobri que nada é para sempre, mesmo que você tenha resolvido que seria.
Foi numa tarde de abril que o inferno penetrou pela vida adentro e deixou tudo fora do lugar.
Neste dia, o céu caiu, o chão se abriu e todos os planos começaram a desmoronar.
A confiança antes concedida acabara de se perder junto de tantas incógnitas.
O pior é que quando você planeja algo, você visualiza, você vive antes, você tem certeza que acontecerá.
Pois bem, não foi nada disso.
Pessoas próximas tem o direito de te fazer infeliz?
Pode haver estima, amizade, cumplicidade numa relação onde sempre imperou o machismo e a submissa?
Claro que não! Porém aquela educação que recebemos quando criança e adolescente rege que devemos perdoar, dar a outra face, deixar pra lá as suas vontades e seus argumentos para evitar complicações e foi assim que sempre agi. Nunca importei comigo. Nunca me impus.
Foi quando aquelas mensagens no celular foi pulando como facas por cima dos meus olhos.
Eu juro, não acreditei.
Claro que seria impossível alguém com quem você tem uma convivência de mais de 35 anos, te trair assim.
Digo assim, porque as mensagens não tinham nada comprometedor, se não tivessem sido apagadas.
Sim, ele apagou  e eu só vi porque sem querer cliquei num botão que nem sabia que existia naquele celular. Era pra lá que tudo o que fosse apagado, ia.
Perguntei do que se tratava aquilo tudo e a resposta foi: não sei, não vi, não conheço.
Aquilo caiu como uma luva para as submissas de plantão. É claro que não acreditei.
Impossível algo chegar no meu telefone, eu apagar e não saber quem enviou ou do que se trata.
Fiquei esperando mais uns dias para ver novamente e lá estavam mais mensagens sem comprometimento algum, porém apagadas.
O mais estranho é que as respostas sempre eram as mesmas: Não sei, não vi, não conheço.
Sendo assim, a dor da dúvida persiste, onde aquela chama que eu tentei reacender no outono, agora acabou de se apagar.
Em abril, iria se iniciar um novo ciclo, em abril iria reacender a chama da vida em nossas vidas. Eu tinha planos, porém agora eu tenho uma dor tão grande, tão forte, que não passa de jeito nenhum.
Escrevo para aliviar a alma e ver se algum anjo envia uma palavra de alento para lambuzar minha alma de ternura e deixar a minha dor mais leve.
Obrigada por me ler.
Regina Mendonça
Escritora e Poetisa.
04/2017

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Foi numa tarde fria de abril ...



Era uma tarde fria de outono, numa quinta-feira, pertinho da Páscoa.
A vida não estava sendo fácil para aquela mulher.
Todos os dias ela se via esquecida num cantinho deste planeta, onde há milhões de pessoas.
Não conseguia mais se fazer ouvir.
Sua voz estava sufocada por tanta bagagem destrutiva, por tanto negativismo, por tanta hipocrisia que assistia e não conseguia mudar.
Muitas noites,  quando ia se deitar era difícil,  pois as dores que a perseguiam eram tantas e tão forte que ela tinha medo de deitar e partir.
Foi numa tarde fria de outono, que aconteceu um inesperado pensamento.
Jesus tinha passado por tanto sofrimento, não igual ao dela, mas muito pior, porque castigos físicos foram aplicados a Ele, e Ele ficou forte.
O crucificaram e Ele permaneceu na sua fé.
É claro que depois de tanta coisa ruim que fizeram com o  Ele, é claro que Ele veio a morrer.
E ela se perguntou: Será que o sofrimento é a melhor maneira de se chegar até Deus?
É claro que depois de pensar muito, ela chegou a conclusão que o ser humano é uma raça idiota.
Sim, idiotas!
Não fazem nada para melhorar a vida do outro.
Só pensam em si.
Doação, benevolência, gratidão? Isso não existe no vocabulário do ser humano.
A crueldade e o egoismo é algo muito comum entre as pessoas e só mesmo um ser humano mais evoluído é que consegue deixar de lado a agressividade  dos outros pra trás. 
Sabe, esta tarde fria de outono fez muito bem para aquela mulher.
Ela deu o primeiro passo como ser humano: ela pensou em si, mas também nos outros e isso foi capaz de fazê-la se lembrar de um exemplo de ser humano. Ela se lembrou de Jesus.
Ela se lembrou das crianças da Síria, se lembrou das crianças do Brasil, aquelas que ela vê todos os dias, dormindo na sala de aula, enquanto a professora dá aula. 
Ela se lembrou das crianças que dormem ao relento, que são agredidas pelos próprios pais, aquelas que estão abandonadas num abrigo, naquelas que passam dores de fome e frio.
Ela se lembrou das crianças que estão doentes, mesmo que nos melhores hospitais até aqueles que não tem nem aspirina para tirar -lhes a dor da febre, lembrou-se das crianças que choram por não ter carinho, ou por serem obrigadas a fazer carinho em adultos. 
E esta mulher, minha gente, ela se revoltou com o próprio pensamento.
Ela desejou, do fundo da sua alma triste, que Deus perdoasse, pelo menos um pouquinho, estes seres tão pequenos, que ainda precisam de afeto, carinho, remédios, abrigo, alimento...
Ela pediu, que nesta Páscoa que está chegando, Deus enviasse um batalhão de anjos e que não deixasse estes pequenos sofrerem pelo menos, por um dia.
Que no domingo de Páscoa, as crianças tivessem, pelo menos, um dia de amor e paz .
Esta mulher, esqueceu dos seus problemas e pensou neles e o seu desejo, com certeza será atendido por Deus.

Boa Páscoa.


HOJE, DIA DO BEIJO...




Estive pensando seriamente sobre a vontade de comemorar este dia.
Há fases na vida em que o beijo é deixado de lado, não por não gostar, mas por falta de opção.
Depois de uma certa idade, o beijo é esquecido, como se não fosse importante.
Quando um casal se esquece do beijo, perde a identidade.
Podemos nos amar, mas quando falta o beijo, o abraço também deixa de existir e os corpos começam a se afastar. 
A alma começa a sofrer e o corpo começa a responder de maneira negativa.
Aparecem as rugas no meio da testa, a pele fica mais seca, o sorriso desaparece e começamos a envelhecer.
O beijo neste caso, seria o primeiro remédio, acompanhado de abraço.
O CARINHO em si, desperta o desejo e o beijo e o abraço passa a ser primordial para um relacionamento saudável.
Perceba que quando um casal se dá bem é porque há BEIJO.
Então, caros amigos, vamos beijar.
Não precisa beijar a boca, mas beije ...
É O PRIMEIRO PASSO PARA A NOVA VIDA QUE VAI ADQUIRIR. 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Procurando a vida!



O final do ano está chegando e eu comecei a querer achar o meu início.
Sim... como acabar sem ter começado?
É complicado terminar algo que não consigo começar.
Iniciei algumas vezes, porém nunca cheguei ao fim.
Quero começar, RECOMEÇAR.
QUERO E POSSO.
Vou iniciar a vida, vou renascer.
Preciso de ar, de sol, de luz, de vida!
Cada partícula de luz, seja em forma de alimento, de oxigênio, de bençãos, de energia que existe , serão adquiridas com a maior força, a maior dependência, a maior concentração que já existiu.
Vou viver cada milésimo de segundo, aproveitando cada centígrado de luz.
Chegou o momento. Estou pronta.
Pode vir, seres de luz, encantar minha vida e me ajudar a vencer todos os obstáculos e só me darei por vencida quando o amor divino, espiritual, carnal e humano estiverem em sintonia comigo e com o Universo.
Estou pronta para seguir.
RECOMEÇANDO!
TRÊS
DOIS
UM
...

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

MEU PAI

MEU PAI

Há muitos e muitos anos atrás eu conheci um homem sério, muito sério.
Não me lembro dele sorrindo.
Ele só falava o necessário.
Chegava tarde, saia cedo.
Eu cresci e percebi que a cada passo que eu dava, ele se distanciava ainda mais e isso me fazia pensar...
O tempo passou, eu vi aquele homem sério se transformar.
Um dia, ele caiu e quebrou o braço.
Depois desse dia ele precisou ficar em casa, sem poder trabalhar, sem dirigir, sem sair.
Esse homem se transformou.
Ele primeiro se escondeu dentro de si, fazendo-se de forte e ainda sisudo.
Hoje, sem nunca mais dirigir, sem nunca mais sair e sem nunca mais trabalhar, esse homem sorriu, brincou, fez gracinhas, se mostrou como ele realmente é.
Hoje, com quase 83 anos, esse homem se mostrou frágil, dependente, carinhoso, amoroso, verdadeiro.
Apesar de portador de Alzheimer, doença maldita que só percebemos por causa do braço quebrado, onde precisou ficar em casa e mostrar mesmo o que acontecia com sua saúde.
Deus preparou sua queda para que ele ficasse em casa e a família percebesse o que estava acontecendo com ele. A falta de memória atual, a maneira como andava, como comia, como dormia, como se portava, fez com que a família percebesse o Mal de Alzheimer e tomasse as devidas providências.
Hoje a doença está controlada, não avançou muito e o MEU PAI, apesar de ter passado boa parte longe, hoje está muito presente, se sentindo o homem mais bonito do mundo.
Meu pai, meu amor...
Joel e Dude